Pesca de LULA

admin 24 de novembro de 2012 1
Pesca de LULA

Para se pegar lula no Rio de Janeiro existem alguns lugares onde ela come abertamente que são:
Praia Vermelha – Urca – Leme e Arpuador

 

A pesca de lulas com iscas artificiais, embora pareça muito simples, é um tanto técnica e requer alguma experiência do pescador. Apesar de ser um grande predador, a “corrida” de uma lula quando fisgada, é bastante suave e muitas vezes mal afunda a bóia que sustenta o chicote com as iscas, confundindo o pescador distraído. É preciso estar atento à bóia, observando seus menores movimentos. Como se trata de uma pescaria light, todo o material utilizado deve ser leve a fim de proporcionar uma maior sensibilidade aos ataques do animal.

Os pescadores locais, em geral, usam caniços longos, em torno de 3m de comprimento, de ação leve, e pequenos molinetes ou carretilhas e linha fina, até 0,25mm de diâmetro. Os caniços longos facilitam os arremessos com os compridos chicotes, e mantém a linha acima da crista das ondas.

As iscas artificiais apropriadas para a pesca de lulas são chamadas de zagarilho (ou zagareio). Seu corpo pode ser semelhante aos conhecidos plugs, com formatos variados, ou simplesmente cilíndrico. Geralmente são envolvidos por tecido, linha ou algum material que os torne mais ásperos ou aderentes. Em sua parte inferior há um, ou dois, “chuveirinhos” de arame de aço contorcido e muito afiados nas pontas, semelhante a uma garatéia com várias pontas. Existem muitos tipos de zagarilho, entretanto, as conhecidas “bruxinhas” (vide foto) parecem ser as mais produtivas – pelo menos gozam desse prestígio. Como não há fisga (farpa) nos arames pontiagudos dos zagarilhos, o grande macete para não deixar escapar uma lula fisgada, é não perder tempo no recolhimento da linha após o sinal da bóia e nunca deixa-la frouxa durante esse trabalho. É preciso ter sensibilidade para perceber quando há uma lula fisgada.

Normalmente utilizam-se as “bruxinhas” dispostas num chicote, em número de duas ou três. Na ponta inferior do chicote é preso um pequeno peso de chumbo (20/30g aproximadamente), ou uma “bruxinha” pesada, a fim de manter o conjunto na vertical. Na parte superior, e distante 2m, aproximadamente, é presa a bóia que mantém o conjunto flutuando. Ao longo do chicote, as pernadas com as iscas (pernadas de 40cm aproximados), são presas de forma eqüidistante a um rotor de modo a deixa-las mais livres e evitar que se embolem. Para estimular o ataque dos moluscos à isca, através do olfato, uma pequena tira de isca natural, sardinha ou da própria lula, é presa à “bruxinha” com eslatricot, uma delgada linha elástica muito usada para este fim, facilmente encontrada no mercado. Isto não é imprescindível, mas certamente traz bons resultados.

Assim como qualquer isca artificial, o sucesso das ‘bruxinhas” depende de alguns fatores. Existe uma grande variedade de cores e modelos, cujos resultados podem variar de acordo com o dia e o lugar, mas identificar qual a combinação mais produtiva é mera especulação. Isso caberia somente às lulas. Entretanto, observa-se que a combinação das cores vermelho e verde nas “bruxinhas” é a que vem apresentando os melhores resultados.

As bóias preferencialmente utilizadas são alongadas, do tipo “charuto”, que tem como vantagem oferecer menor resistência ao afundamento, tornando seus movimentos mais perceptíveis. E, como a pescaria pode se estender noite adentro, algumas são equipadas com bastões de luz química (starlight).

Infelizmente a quantidade de lulas capturadas na Praia Vermelha, através da pesca esportiva, esta cada vez menor, assim como outras espécies. Isso porque assim que os cardumes anunciam sua presença nessa região de águas abrigadas, um número cada vez maior de barcos de pesca comercial cerca imediatamente o local, invadindo inclusive áreas onde a navegação é proibida, e se incumbem de eliminar boa parte dos cardumes, indiferentes a qualquer tipo de legislação.

One Comment »

  1. david 25 de novembro de 2012 at 02:49 - Reply

    Não sei como pode ter tanto idiota que não percebe que fazendo esse tipo de pesca com rede, vai acabar com a pesca artesanal de praia,Se nenhuma autoridade der um jeito nisso, não vamos mas ter o prazer de desfrutar dessa maravilha que a natureza nos
    proporciona. Vcs autoridades que nada fazem para tomar providência e acabar com essa pesca de maneira incorreta, quando levar o seu filho para pescar na beira da praia, se é que vcs fazem isso, a criança vai arranjar só mosquito, desse esgoto imundo que são despejados na praia, porque da qui a algum tempo é só isso que vai ter. Fica ae o meu recado?

Leave A Response »