EQUIPAMENTOS MAIS ADEQUADOS PARA CADA ESTILO DE PESQUEIRO

Para que o pescador se torne “técnico” ele tem que observar as estruturas diferenciadas de cada pesqueiro, os tamanhos dos peixes, a profundidade que habitam, a distancia estimada que costumam ser capturados, e o grau de dificuldade de acesso que o pescador tem para arremessar ou para recolher, quando o pescador começa a perceber essas diferenças e com essa percepção ele começa a adequar um material que atenda a cada um destes itens citados a cima. Ele começa a ter sucesso nas pescarias, e começará a notar uma enorme diferença entre saber pescar com técnicas realmente funcionais, e pescar de forma empírica, e só ai ele perceberá que para cada pescaria existe um tipo de equipamento adequado.

CANIÇO DE AÇÃO LENTA:
Caniço que começa a fletar desde o meio do blank (corpo do caniço) até a parte da ponta, caniço muito utilizado para pescarias de peixes pequenos, pescarias leves ou no caso das pescarias de praia, pescarias de beirinha.

CANIÇO DE AÇÃO MÉDIA:
Caniço que fleta somente a parte da ponta, este estilo de caniço é muito utilizado para pescarias “média pesada”, no caso da pescaria de praia, é utilizado para pescar na meia água.

CANIÇO DE AÇÃO RÁPIDA:
Caniço rígido que só fleta alguns centímetros da parte da ponta, somente no arremesso ou quando esta em trabalho com o peixe (brigando com o peixe), ele fleta toda a parte da ponta.

MATERIAL LEVE: Peixes de pequeno porte até 1,500kg, perspectiva no RJ entre 50gr e 150gr em terra firme, e de 500gr á 1,500kg embarcado ou com iscas artificiais.
MATERIAL MÉDIO : Peixes de porte médio até 3 kg , perspectiva no RJ entre 200gr e 600gr em terra firme e de 2kg á 6kg embarcado ou com iscas artificiais
MATERIAL PESADO : Peixes de porte mais elevado, perspectiva no RJ entre 800gr e 2kg em terra firme e de 8kg á 15kg embarcado ou com iscas artificiais na costa podendo passar dos 30kg nas pescas oceânicas

EXISTEM 3 ESTILOS DE PESCARIAS DE PRAIA, DIVIDINDO-SE EM BEIRA, MEIA ÁGUA E FUNDO.
O QUE DETERMINA ESSES ESTILOS É BASICAMENTE A DISTÂNCIA

PESCARIA DE BEIRA:
Pescaria onde é realizada a captura de pequenos peixes que habitam á distancia entre 03 e 50 metros, isso não é uma regra é só uma estatística muito segura.
CANIÇO DE BEIRA – 2,70m com ponta bem flexível
MOLINETE DE BEIRA ( molinete pequeno ) ou carretilha de perfil baixo
LINHA – multi-filamento 0,04mm ou mono-filamento 0,16mm
ANZÓIS – akita kitsuner: N° 04 se for dentro de baía e n° 06 se for em mar aberto
CHUMBOS – modelos, Pirâmide n° 01 e 02 para pescar em mar aberto. Na baía os chumbos devem ter de 30gr a 50gr.

PESCARIA DE MEIA ÁGUA:
É onde encontramos os peixes pequenos que habitam a beira, mas buscam alimentos mais longe, e também já encontramos a presença de peixes maiores, essa pescaria é realizada nas distancia que variam entre 60m e 120m .

CANIÇO DE MEIA ÁGUA – 3,60m com ponta levemente flexível
MOLINETE DE MEIA ÁGUA – porte médio carretel cônico
LINHA- 0,15mm a 0,20mm mono-filamento
ANZÓIS – akita n°07 e 09 ou maruseigo n°08 e 10
CHUMBOS DOS MODELOS – pirâmide n° 03 se for pescar em mar aberto e a correnteza estiver forte ou pit-bomber de 100gr quando o mar estiver manso. No caso de pescaria em baía, devemos utilizar somente o modelo pit-bomber de 100gr

PESCARIA DE FUNDO:
Nome dado a essa pescaria pôs os arremessos são bem mais longos que os arremessos da pescaria de meia água, os arremessos da pescaria de fundo chegam a distancias onde os canais são mais profundos. Essa pescaria tem o nome técnico de “long casting”, e para realizarmos esse estilo de pescaria temos que ter muita técnica de arremesso e um material adequando para conseguirmos chegar às distancias entre os 130m e 180m, podendo um arremesso chegar à casa dos 200m, é lá que iremos aumentar nossas chances de capturar um peixe de porte maior.
CANIÇO – Entre 3,90m e 4,50m (rígido com leve ação de ponta)
MOLINETE – porte grande com o carretel cônico
LINHA – 0,18mm a no máximo 0,25mm
ANZÓIS – maruseigo n° 10 – 12 – 14
CHUMBO DOS MODELOS – pirâmide n°05 se a correnteza estiver puxando e pit-bomber de 125gr a 150gr

Para balancearmos nossos conjuntos de varas e molinetes, ou varas e carretilhas, basta termos bom censo. A forma mais fácil é comparando nossas varas com os automóveis e nossos molinetes com as rodas: vara pequena e leve com molinete pequeno, vara média com molinete médio, vara grande com molinete grande, varas de pesca embarcada pequenas porém muitas vezes pesadas, com molinetes de porte médio ou até mesmo grande, assim como um carro de passeio não iria sair do lugar com uma roda de trator, e vice-versa. Uma vara pequena não ficaria bem com um molinete grande e uma vara grande não ficaria bem com um molinete pequeno.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *